12 de outubro de 2016

Isto foi mesmo dito??!


Ora bem, já se previa uma segunda-feira díficil com os protestos dos taxistas. O que não se esperava eram as atitudes irracionais registadas, desde do vandalismo aos carros alegadamente da Uber, a queda de uma pessoa de um viaduto, as agressões e como se isto tudo não fosse grave, veio uma declaração mais do que infeliz, de certo que não foi pensada antes de ser proferida, por parte de um taxista a um canal televisivo. Não vou repetir as declarações, no entanto podem ver aqui.



Não repito as declarações, por um motivo simples: sou mulher, mãe, filha, mas acima de tudo um ser humano, com racionalidade. Assim, que vi as declarações fiquei incrédula, senti que para esse sujeito tudo era banal. Senti muita revolta, senti que o desconforto que tinha quando em pequena utilizava táxis (acompanhada por adultos) afinal sempre fez sentido. Esse desconforto pensado bem, deveu-se sempre por partilhar um espaço fechado e pequeno com estranhos, por colocarmos a nossa vida nas mãos de quem parecia não ter qualquer preocupação com esse facto, por desrespeitar outros condutores, por falar ao telemóvel enquanto conduzia e pela má imagem apresentada. Quantos de nós não tem uma imagem marcada, para quando se fala de taxistas? Não são com base em filmes, mas sim com aquilo que nos confrontamos, palito na boca, rádio a emitir desporto ou fado, carros desconfortáveis, conduções um pouco bruscas, tal como piropos pirosos, ou aqueles olhares perturbadores, que não deixam dúvidas do que estão a pensar.

Fonte


Quanto ao sujeito, espero que seja julgado pelas declarações porque, se muitas mulheres já tinham medo de andar de táxis sozinhas, hoje também as suas famílias ficaram chocadas e alarmadas. Não é coisa que se pense, nem para dizer, por favor. Isto tudo, só fez "o tiro, sair pela culatra", foi uma péssima imagem deixada dos taxistas, as manifestações já não ajudam e estes comportamentos muito menos.  Nós sabemos, da brutalidade que antigamente se vivia, os casamentos com menores de idade e a exigência e exames para comprovar a sua virgindade, o homem que apenas pensava em si, e muitas mulheres mesmo casadas sofriam abusos (caladas), numa época onde tudo isto é condenável, onde ainda se registam demasiados abusos, quer a crianças, quer a mulheres, esta declaração nunca, nunca poderia ser dita, e não pode sair impune.




Fonte

Quanto ao alarido da Uber VS Taxistas, estamos a falar de evolução. Evoluímos, supostamente, a cada dia que passa, pelo que as plataformas, as aplicações, e tudo o que envolva tecnologia são o futuro. Tal como, os pagamentos online, a possibilidade de escolher o melhor preço pelo seu transporte. Se pagamos, exigimos profissionalismo, conforto, respeito e eficácia.

Já que a Uber é uma plataforma informática, que reúne motoristas independentes, onde solicitamos o carro através da aplicação, fornecem-nos a informação do preço estimado e o tempo da viagem. Paga-se pela aplicação com cartão de crédito e a factura é enviada por email.  O que vêem de errado aqui?? 
A viagem ser controlada? As facturas serem todas emitidas? Ou o clientes ainda serem contactados para avaliar o serviço, o estado do carro e amabilidade / simpatia / cordialidade do motorista? 


Um conselho? Actualizem-se, porque afinal de contas o mundo não vai parar de girar porque vocês decidem fazer boicote à evolução.

Sem comentários:

Enviar um comentário